01 de Fevereiro 2018

Ato em Brasília vai reunir magistrados de todo o país

O presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Jayme de Oliveira, participou nesta quarta-feira, 31, de coletiva de imprensa na companhia dos presidentes de associações que compõem a Frente Associativa da Magistratura e Ministério Público (Frentas) para explicar aos jornalistas os objetivos da mobilização que acontece nesta quinta, 1º de fevereiro, em Brasília.

O ato de protesto dos magistrados e procuradores é uma iniciativa da Frentas e espera reunir centenas de magistrados e membros do MP que levarão para a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, documento com as preocupações das instituições.

Na entrevista coletiva, os presidentes das associações ressaltaram os temas que hoje ameaçam a magistratura e o Ministério Público, como projetos que tramitam no Congresso Nacional e que enfraquecem a atividade jurisdicional. Exemplos são a Lei do Abuso de Autoridade e a criminalização das violações às prerrogativas dos advogados.
“A nossa maior preocupação tem sido com o estado democrático de direito. Percebemos movimentos que tentam enfraquecer o Poder Judiciário, que tentam enfraquecer a democracia”, ressaltou Jayme de Oliveira.

A proposta de Reforma da Previdência também foi duramente criticada pelos presidentes de associações de magistrados e de procuradores. Participaram da entrevista jornais de âmbito nacional, como O Globo, Folha de São Paulo e O Estado de São Paulo, sites, como G1 e Uol, além da imprensa especializada.

Com informações da Ascom/AMB

Fonte: post